Interfaces Naturais

Há cerca de vinte anos Mark Weiser elaborou uma visão construida em torno de dois conceitos chave, e que ainda hoje guiam as pesquisas de HCI (Human–Computer Interaction).

O primeiro conceito é o que se poderia chamar em português de  computação ubiqua (ubiquitous computing), e é essencialmente uma visão sobre miniaturização, hardware e proliferação de sistemas de computação universalmente disponiveis e aplicados. A verdade é que podemos dizer que este conceito é hoje uma realidade, e a visão de Weiser está quase completamente realizada. O Google retorna mais de 3 milhões de links acerca do assunto, incluindo todo o tipo de eventos e iniciativas (conferências, worlshops, projectos de pesquisa, iniciativas da industria, etc.)

O segundo conceito é o de calm technology. É acerca do design de interacção, percepção, qualidade, adequação, psicologia e poesia. O facto é que está completamente irrealizado. O conceito é sobre subtileza no interface dos computadores com os humanos, sobre qualidade em vez de quantidade… O que aconteceu com ele? O Google retorna menos de 50 mil resultados sobre o assunto, e aparentemente muitos são links mortos, ou páginas sem manutenção.

Continue reading “Interfaces Naturais”