Degradámos o ambiente e o planeta em que vivemos. Procuramos usar a tecnologia para reparar os estragos e para evitar o seu agravamento. Mas estamos longe da solução e provávelmente não iremos já a tempo. Podemos prever, por nossa exclusiva culpa, tempos dificeis para as  gerações vindouras.

O impacto da sociedade no planeta Terra pode ter atingido um ponto sem retorno.

A proposta da frog design é de que não nos reduzamos agora a procurar usar a tecnologia para combater este ambiente hostil e perigoso que estamos a criar no planeta Terra, mas que a usemos também para escapar dele. Actualmente já usamos os dispositivos móveis para nos proporcionarem prazeres passageiros – a musica, o video, os jogos e outros divertimentos.

Com a acelaração de tecnologias inovadoras e o aumento do poder de computação,  sistemas de computação genéricos serão instalados wearables, e a nossa roupa e dispositivos portáteis permitirão experiências pessoais mais imersivas. Num futuro mais problemático e negro, estes dispositivos poderão oferecer uma nova dimensão – uma nova camada de realidade que poderia ser usada para repensar e re-imaginar o mundo problemático por detrás deles… Tais dispositivos poderiam gerar uma visão melhorada do mundo desagradável à nossa volta, mesmo que por pouco tempo, mas resultarão certamente  numa espécie de nova droga visual .

“O design proposto funcionaria como uma mascara entre o utilizador e mundo exterior expressando a internalidade da interacção com o dispositivo. A sua forma e apresentação distinguirá claramente aqueles que se movem no mundo real, e aqueles que se encontram ligados na sua dimensão privada, de um mundo como querem vê-lo.

A máscara é desenhada como se se tratasse de um dispositivo salva vidas, quase de forma exagerada, e dá uma aparência quase robótica, divergido claramente do que hoje definimos como interacção fisica humana normal. 

Dentro da máscara sons, cheiros e mesmo a qualidade do ar seriam recriados para suportar uma experiencia sensorial total. A expressão facial do utilizador seria detectada e projectada em avatares visiveis por outros utilizadores do mesmo mundo virtual por detrás de máscaras identicas…”

Claro que o design é conceptual. Mas levanta questões interessantes, tanto mais que que estamos próximos de dispor de todas as tecnologias para a sua produção. A realidade aumentada (AR) é uma das áreas cada vez mais explorada e com os mais chocantes desenvolvimentos e resultados. E nesta proposta da frog design reúnem-se duas realidades mais próximas do que podemos imaginar: a da catástrofe global que imprimimos definitivamente no nosso mundo, e o dos desenvolvimentos tecnológicos que poderão eventualmente tornar suportável (pelo menos por algum tempo) o ambiente desolador em que teremos que viver.

Referências
frog design
proposta da frog design