Mais projectos Multitouch


A imaginação é o limite. A tecnologia multi-touch, baseada em FTIR (Frustated Total Internal Reflection – mais sobre o assunto brevemente!), tal como a conhecemos e projectamos na Dreamfeel, tem multiplas aplicações.

Já aqui ficaram alguns exemplos de aplicações em Museus. Mas fora das salas de exposições, em aplicações ludicas e comerciais podem conceber-se também instalações espectaculares. Entre os parceiros da Dreamfeel, e outras empresas presentes no mercado com aplicações semelhantes, a criatividade impera! Senão vejamos alguns exemplos:

A utilização que uma instalação com tecnologia multitouch pode ter inclui tudo o que se possa conceber como aplicação interactiva, e vai desde o meramente ludico e experimental, até às aplicações de marketing e publicidade, incluindo a animação de eventos. Na Dreamfeel procuramos ser criativos e novas aplicações deste tipo vão surgindo misturando ideias que nos surgem no mercado a cada passo, com outras que já foram experimentadas em algum lugar… e provaram ser espantosas…

A reacção das pessoas é sempre fantástica: o publico reage com curiosidade e torna-se participativo. As mesas multitouch tornam-se o centro de convivio em eventos, e as aplicações de marketing, com forte componente de branding, sucedem-se numa aparencia de jogos e aplicações ludicas.

Como interface o multitouch é um sucesso: intuitivo, fácil de usar e participativo.

E as aplicações mais sérias também se sucedem: por exemplo a composição de anuncios de jornal pelo próprio publico, que chega com uma foto, que pousa na mesa; ou um telemóvel em que está armazenada essa foto; escolhe um layout, entre vários que lhe aparecem; a foto como por magia é digitalizada e incluida no anuncio; escrevendo com o dedo na mesa, a pessoa cria um titulo e um texto para o anuncio. Quando tudo está completo, arrasta o anuncio para a zona de publicação… o que acontece a seguir só depende da imaginação: o anuncio pode aparecer nos paineis de digital signage do local; ou pode ser enviado digital e directamente para publicação no jornal local, ou pode sair em cartazes na impressora da grafica digital onde está isntalada esta mesa…

E se tivermos vocação musical, também existe uma mesa apropriada:


 

Contacte-nos em Dreamfeel.

Anúncios

2 thoughts on “Mais projectos Multitouch

  1. Os conceitos de multitouch são bastante antigos, pelo menos como ideia.

    Algumas das primeiras discussões surge acerca dos problemas das tabletes digitalizadores, com a ocorrência de multiplos toques, em anos tão remotos como 1980. Mas também surge o mesmo problema com os touchscreens, sejam quais forem as tecnicas usadas (resistivas, IR, pressure sensor, a mais moderna capacitiva, ou qualquer outra).

    Mas o primeiro trabalho em que efectivamente são referidos os conceitos são de 1982: Mehta, Nimish (1982), A Flexible Machine Interface, M.A.Sc. Thesis, Department of Electrical Engineering, University of Toronto supervised by Professor K.C. Smith. O primeiro aparelho do tipo “multitouch screen” é de 1984: Multi-Touch Screen (Bob Boie, Bell Labs, Murray Hill NJ).

    O meu interesse centra-se na discussão do multitouch enquanto paradigma de interface homem-maquina. Nesse aspecto a mais completa cronologia que conheço está na página do Bill Buxton (tecnólogo da Microsoft) em http://www.billbuxton.com/multitouchOverview.html. Aliás todo o site do Bill Buxton contém muitos e interessantes discussões e trabalhos na matéria. De qualquer modo os trabalhos que realmente estabelecem o multitouch na discussão técnica, e realizam uma efectiva aplicação das ideias são os de Jeff Han, como referido.

    De notar ainda que a inclusão de multitouch em sistemas operativos inicia-se com certas releases de linux que incluiram a touchlib. São casos pontuais e específicos, mas em abono da verdade é necessário referir. Depois alguns sistemas da Apple que culminam no iPhone: o suporte multitouch é nativo no próprio sistema operativo. Nos sistemas operativos de uso genérico, o Windows 7 será sem duvida o primeiro, mas lembremo-nos que a Microsoft lançou o Surface (não genéricamente disponivel, ainda) há um ano atrás…

    Gostar

  2. Os projectos das superfícies multi-toque têm uma história já algo alongada, conheço alguns projectos académicos de 2001 onde já se fazia a apresentação de experiências.

    Um desses projectos tenta há 2 ou 3 anos (sem grande sucesso pelo menos que seja do meu conhecimento) que os produtores de sistemas operativos integrem nos próprios sistemas algumas características que evitariam ter que se reescrever a camada de interacção das aplicações clássicas um pouco como sucedeu com o uso dos primeiros computadores portáteis com ecrã táctil que de início necessitavam de ter parte do software reescrito para esse meio e em que a camada de interface táctil depois passou a fazer parte do sistema operativo fornecido pelo fabricante.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s