Há dias percorria várias das e-mags que visito regularmente e a minha atenção prendeu-se num artigo de Mathew Honan, na WIRED News, sobre a revolução da geolocalização.

Nesse artigo, intitulado “I Am Here: One Man’s xperiment With the Location-Aware Lifestyle”, descrevendo a sua experiencia com a aplicação WhosHere, para iPhone, que básicamente permite conhecer quem está à nossa volta, num dado local (e vice-versa, claro), usando a mesma aplicação, e uma vez identificadas essas pessoas, percorrer o seu “profile”  e, se se pretender, iniciar a interacção, possivelmente um chat, com alguma dessas pessoas.

É hilariante a forma como Honan descreve a sua primeira tentativa de uso da aplicação WhosHere …  aqui fica a descrição do seu primeiro contacto com a aplicação:

… I asked for some help. I started messaging random people within a mile of my location (37.781641 °N, 122.393835 °W), asking what they used WhosHere for.
My first response came from someone named Bridget, who, according to her profile, at least, was a 25 year-old woman with a proclivity for scarves.
To find sex, asshole,” she wrote.
“I’m sorry? You mean it’s for finding people to have sex with?” I zapped back.
“Yes, I use it for that,” she wrote. “It’s my birthday,” she added.
“Happy birthday,” I offered.
“Send me a nude pic for my birthday,” she replied.
A friendly offer, but I demurred. Anonymous geoshagging is not what I had in mind when I imagined what the GPS revolution could mean to me.

citado de WIRED news

As aplicações com geolocalização chegaram, e o seu uso também, seja ele qual for: localização de pessoas, marketing de proximidade, personalização de conteúdos internet, ou mesmo “Anonymous geoshagging”.  

A Geolocalização

Os modernos SmartPhones são verdadeiros computadores. Correm sistemas operativos standard, permitem instalar todo o tipo de aplicações, dispõem de ligação internet de banda larga (3G), ligação bluetooth, e muitos acrescentam-lhe ainda capacidade de rede WiFi. Entre touch screen, câmaras de alta resolução, ecrãs de grande dimensão, alta resolução e cor, a conectividade é o denominador comum mais marcante. Esta capacidade dá-lhes também um arsenal de possiblidades de saber onde raio estão à face da terra… 

A geolocalização é um tema que tem despertado interesse em várias utilizações, desde o vulgar GPS de orientação, até ao exemplo mais recente, na camanha de Obama, em que uma aplicação iPhone permitia fornecer ao apoiante apenas informação relevante para o local em que se encontrava naquele momento. Qualquer pessoa pode imaginar uma infinidade de aplicações em que a geolocalização pode ser de imenso valor quer para uma navegação na internet mais cómoda, quer na localização de pessoas (chat, grupos de interesse, etc.) quer ainda em aplicações mais elaboradas, como o marketing directo de proximidade. Em conjunto com uma personalização baseada em perfis de utilizador pode ser uma ferramenta poderosissima na àrea da publicidade.  

Pensemos que num dispositivo móvel o espaço de ecran ainda é um recurso escasso e, fazendo uma qualquer busca no (google incluido), apenas apareciam resultados (e anuncios) relevantes para o local onde o utilizador se encontra. Esta publicidade é publicidade premium! Mas se o motor de busca conhecer o perfil do utilizador, o potencial está multiplicado por muitos milhares… Um amante de cozinha indiana poderá receber publicidade dos restaurantes indianos na sua zona, o amante de Jazz receber os espectáculos de Jazz num raio alcançável em tempo util,  e o desportista ver o anuncio das lojas de equipamento desportivo na zona em que se encontra.

Outras aplicações poderão incluir a interacção com pessoas presentes no mesmo espaço, a publicidade directa dos espaços comerciais ou de serviços existentes na proximidade, a criação de logs de visita (museus, exposições, loacais historicos), a criação de indicações interactivas sobre percursos urbanos, turisticos ou históricos (em que o funcionamento tradicional do GPS se cruza com conteúdos web ricos, e com meta informação sobre o local). 

As tecnologias

A Dreamfeel usa presentemente uma tecnologia que permite prototipar e desenvolver rápidamente uma aplicação multimedia geolocalizada, do tipo video-guia,  baseada em tecnologia Java,  instalável em qualquer PDA, PC ou SmartPhone com acesso à internet móvel 3G (e preferencialmente com localização GPS), e que permite a um visitante percorrer trajectos ou locais urbanos, recebendo indicações de percurso, meta-informação ou conteúdos multimedia relacionados com os locais onde se encontra e informações adicionais ou turisticas, geografica e temporalmente referenciadas: é hora de almoço, que tal receber a sugestão do restaurante mais próximo e, já agora, as indicações de percurso, sabendo de antemão qual a ementa, e fazendo a reserva com antecedência? Esta e outras aplicações, em centros urbanos, locais turisticos, museus, feiras e exposições, parques temáticos ou outros são a tendencia actual.

As tecnologias usadas para a geolocalização são várias, e podem variar conforme a necessidade da aplicação. Das mais importantes e generalizadas, algumas são genéricas e de baixissimo custo, outras são de aplicação localizada, outras são de proximidade. Vejamos apenas algumas

Rede GPS

O dispositivo movel necessita de ter acesso a esta rede de geolocalização por satélite. A precisão de localização é enorme (da ordem de 1 a 2 metros), mas é aplicável apenas em espaços abertos, uma vez que o dispositivo necessita de ter acesso em linha de vista aos satélites da rede. inaproveitável em interior. Também o acesso inicial á rede, e a leitura de posição é algo lento, apesar de à escala destas utilizações, ser bastante irrelevante.

No entanto a sua aplicação em exterior é universal (a rede de satélites cobre virtualmente qualquer ponto do globo terrestre), tendo a vantagem de que muitos SmartPhones e PDA’s já incluirem suporte GPS de origem, ou pelo menos o suporte a pequenos dispositivos GPS externos (de baixo custo) com ligação fisica ou por BlueTooth, os quais já muita gente possui (pelo menos para uso no automóvel)

Rede celular móvel

Os telefones móveis podem sempre saber em que célula da rede móvel se encontram (pelo menos a identificação da antena de que recebem mais potência, provávelmente a mais próxima). A aplicação consulta uma base de dados central para conhecer a posição geográfica exacta da célula em que se encontra. Dependendo da rede e do local (interior de edificios, urbano, rural, etc.), uma célula pode ter apenas algumas centenas de metros de raio (uma precisão tipica em meio urbano, apesar de variável, é de 1000 a 300 metros, suficiente para efectuar publicidade urbana de proximidade, divulgação de espectáculos, etc.).

Rede WiFi

Tipicamente estas redes encontram-se instaladas no interior de edificios ou em espaços limitados (pavilhões de feiras e exposições, instalações desportivas, edificios públicos, espaços urbanos limitados, como praças, locais de passeio, etc.) além de dentro dos proprios edificos, em empresas, administração pública, instalações comerciais, etc. Um access point pode ter um alcance de 100 a 300 metros, mas uma rede de vários acess points pode proporcionar uma cobertura alargada, além de proporcionar uma dupla ou tripla cobertura para cada dispositivo (um dispositivo pode “ver” mais que um AP). usando tecnicas de medição de tempo de resposta é possivel saber a que distancia o dispositivo se encontra do AP.

untitled-1Usando tecnicas de triangulação é possivel localizar com precisão (cerca de 1 metro) a posição exacta do dispositivo. Usando identificação de cada rede, em conjunto com a localização dentro do espaço de cobertura, é possivel integrar esta informação de localização num espaço de informação mais vasto, que inclui várias àreas de cobertura WiFi. Várias marcas proporcionam apliances ou software que processa nativamente esta informação. A marca Aeroscout, que a Dreamfeel comercializa, criou equipamento com aplicação especializada, que permite por exemplo a localização de pessoal ou equipamento dentro de um hospital, ou dentro de instalações industriais de media e grande dimensão.

O uso destas possibilidades por aplicações Web está apenas a um passo… basta aparecerem os primeiro interessados, pois a tecnologia está disponivel.

Bluetooth

Hoje em dia praticamente todos os telefones móveis, SmartPhones, computadores portáteis ou PDA´s dispõe, da tecnologia Bluetooth. Esta permite a comunicação de curta distancia (até cerca de 10 metros) de dispositivos digitais que suportem a tecnologia. A colocação estratégica de um ou vários hot-spots bluetooth dentro de um espaço, permite uma comunicação de proximidade com o alcance de comunicação do próprio bluetooth. Por exemplo a colocação de um totem interactivo com bluetooth, num corredor de um centro comercial, frente à porta de uma loja, permite a difusão de conteudos (promoções, publicidade, anuncios, multimedia, etc.) referente à loja ou aos produtos comercializados. Num museu ou percurso histórico, permite fornecer informação especializada referente à sala, local, obra, monumento, percurso, etc. Quando ligados em rede, os hot-spots bluetooth podem constituir uma unica entidade, que encaminha o utilizador segundo percursos, que criam guias de visita, que encaminham e dirigem um trajecto, que apenas fornecem a informação relevante, etc. um centro histórico de uma cidade pode, deste modo, conter um sem numero de pontos onde o visitante recebe informação multimedia sobre o local que está a visitar… ou publicidade dos equipamentos, serviços e comercio existente nas proximidades.

Existem no mercado várias tipos de tecnologias, equipamentos e sistemas de difusão Bluetooth, cada uma delas com caracteristicas que lhes permite melhor adaptação a diferentes necessidades. A Dreamfeel Ldarepresenta várias destas tecnologias, sendo portanto fácil conceber o sistema mais adequado a cada necessidade.

RFID

O RFID (identificação por rádio – Ccontactless) é uma tecnologia antiga e já vulgarizada. A TAG (etiquetas) que contêm um pequeno chip de memória podem ser lidas a partir de um dispositivo externo, usando a energia emitida pela antena do dispositivo externo para alimentar o proprio chip interno.

Uma vez que as TAG´s não necessitam obrigatóriamente de ter alimentação electrica, e dada a sua pequena dimensão, elas podem ser colocadas em embalagens, em simples etiquetas autocolantes, na espessura de um papel (nos livros, jornais e revistas, por exemplo), implantadas no interior de objectos durante a sua construção, colocados em cartões do tipo credit card para uso no controlo de identidade e controlo de acessos ou, para outras utilizações, pdem mesmo ser implantadas em seres vivos (identificação de animais, por exemplo).

Se é necessária uma maior distância de leitura usam-se as chamadas TAG’s activas, cuja grande diferença, é possuirem uma pequena bateria ou pilha, de alimentação, podendo por isso emitir maior potência na resposta à interrogação da antena do aparelho externo. Este tipo de TAG é afinal aquele que todos nós temos nos nossos automóveis, pois é o sistema usado pela Via Verde.

Um conjunto de TAG´s RFID colocadas em pontos estratégicos, pode identificar objectos ou locais para um equipamento apropriado que disponha de um leitor RFID (um video guia para um museu, por exemplo). Ao aproximar o aparelho da TAG, o aparelho identifica-a e sabe a que objecto ou local está associada podendo depois usar essa informação para qualquer fim apropriado: fornecimento de informação ou de multimedia, de documentos apropriados, guia audio e/ou video, etc.

RFID no controlo de acessos de automóveis

No sentido inverso, uma pessoa ou objecto pode dispôr de uma TAG RFID que a vai identificar perante locais fixos, nos quais está um leitor (portais ou dispositivos de leitura), podendo assim permitir que o edificio conheça “a sua posição”.

Numa proposta da Dreamfeel, o visitante de um museu leva um cartão tipo credit card que o identifica; quando  “mostra” o cartão a qualquer dos dispositivos multimedia presentes no museu, este são accionados, usando o perfil do visitante contido nesse cartão (idioma incluido, etc.). Deste modo pode permitir-se que um visitante Japonês ou um Português visitem lado a lado uma exposição sobre história de portugal, recebendo a informação apropriada para as suas referencias culturais e históricas, na lingua que entende.

O Presente e o Futuro

Algumas destas tecnologias podem-se combinar (por exemplo os telefones 3G com GPS podem usar em simultâneo o GPS, o WiFi, o bluetooth e a propria localização da célula da rede móvel). Muitos dos dispositivos estão nos nossos bolsos… e se não estão já, estarão nos proximos dias, quando substituirmos o velho telemóvel que temos. A maioria destas tecnologias é de baixo custa; algumas das aplicações baseiam-se quase exclusivamente em software, usando as redes existentes e que nos rodeiam em todos os lugares. A geolocalização digital estão à nossa volta!

As aplicações destas tecnologias de localização estão mais proximas do que pensamos, e todas elas estão disponiveis, e só a falta de imaginação tem impedido o seu uso mais alargado. Na Dreamfeel pensámos e concebemos muitas destas possiveis aplicações, e procurámos os parceiros especialistas que podem desenvolver connosco aplicações específicas. A área do turismo, dos museus e do marketing de proximidade receberam a nossa especial atenção, e podemos dizer que muitos sistemas e instalações deste género podem ser imediatamente ensaiadas ou concebidas, e instaladas, com equipamentos presentes no mercado, muito deles da àrea da electronica de consumo.

O uso destas aplicações vai multiplicar-se nos proximos anos, e este tipo de tecnologias já faz parte do nosso dia a dia. Muitos dos dispositivos que trazemos diáriamente nos nossos bolsos, malas ou veiculos, já dispõe de uns ou outros destes tipos de acesso (telemóveis, portáteis, SmartPhones, GPS´s, mp4’s e media players, PDA´s).

O seu uso vai generalizar-se rápidamente e por isso na Dreamfeel  tentamos oferecer estes produtos e serviços de uma forma eficaz e que possa ser directamente utilizável nas aplicações imediatas, das mais banais às mais imaginativas.

Se estas tecnologias lhe interessam no seu futuro projecto de marketing, se acha que pode ter uma aplicação para este tipo de localização, que nunca viu implementada ou se acha que este seria um bom complemento para um projecto que já tem em desenvolvimento, ou se simplesmente quer saber mais, contacte-nos na Dreamfeel por mail ou telefone, e fale-nos desse projecto. Certamente seremos seu parceiro na concepção da solução.

Veja também o interessante artigo Inside the GPS Revolution: 10 Applications That Make the Most of Location